Mariana Sales Teixeira

“For first you write a sentence,
And then you chop it small;
Then mix the bits and sort them out
Just as they chance to fall:
The order of the phrases
makes no difference at all.”

Lewis Carroll: “Poeta fit, non nascitur. ” In: Rhyme? and Reason? London: Macmillan, 1883.
Reprinted in: The works of Lewis Carroll (Teltham/Middlesex, 1965), p. 804.

[NB: This quote is a small fragment from a fairly long poem. If you read the complete poem, it turns out that the random permutation procedure is merely one of several steps in a more complex method for poetry writing.]*1

.

“Pour faire un poème dadaïste

Prenez un journal.
Prenez des ciseaux.
Choisissez dans le journal un article ayant la longeur que vous comptez donner à votre poème.
Découpez l’article.
Découpez ensuite avec soin chacun des mots qui forment cet article et mettez-les dans un sac.
Agitez doucement.
Sortez ensuite chaque coupière l’une après l’autre.
Copiez consciencieusement dans l’ordre où ellesont quitté le sac.

Le poème vous ressemblera.
Et vous voilà un écrivain infiniment original et d’une sensibilité charmante, encore qu’incomprise du vulgaire.”

Tristan Tzara: Part VIII of “Dada manifeste sur l’amour faible et l’amour amer”, La Vie des Lettres , 4 (April 1921), 434-443.; Oeuvres complètes, Vol.1, Paris, 1975, p. 382.

.
 ______
palavras chave: acaso; registo; fragmentos; peças, todo, reconstrução; forma/imagem; desenhar; compor
.

Seria do meu interesse explorar conceitos como o acaso, enquanto percursor e parte integrante da prática artística entre os espaços bi e tridimensionais. Como o processo mais bem planeado conta sempre com contra tempos e acidentes – uma coisa cai, uma coisa borra, uma coisa parte-se- procuro aqui no âmbito desta disciplina levar estas “partes” esquecidas ou regeitadas e transportá-las para debaixo de um foco. puxar por elas, chamá-las e deixá-las acontecer, aceitá-las. admiti-las como parte integrante e “vital” do processo.

Referências e artistas consultados ou que acho relevantes numa pesquisa  neste campo

tangram

Aqui apresentado como referência o jogo do “tangram” é um quebra-cabeça formado por 7 peças (5 triângulos, 1 quadrado e 1 paralelogramo)  Segundo a Enciclopédia do Tangram é possível montar mais de 1700 figuras com as 7 peças,respeitando um conjunto de regras.

Apesar de haver várias lendas sobre sua origem, uma diz que uma pedra preciosa se desfez em sete pedaços, e com elas era possível formar várias formas, tais como animais , plantas e pessoas. Outra diz que um imperador deixou um espelho quadrado cair, e este se desfez em 7 pedaços que poderiam ser usados para formar várias figuras. É o jogar com o acaso e o admitir desse acaso – ou o jogo entre o “deixar rolar”, o acaso, e o poder manipular e direccionar processos, matérias e formas.

             

http://4pilares.zi-yu.com/?page_id=385

manchas do testes Rorscharch

http://deltabravo.net/custody/rorschach.php

Allan McCollum

Untitled Paper Construtions, 1975, lápis, aguarela e acrilico sobre papel.

http://www.allanmccollum.net/amcnet2/album/ups.html

A obra Untitled Paper Constructions consiste em 16 formas impressas em papel. Estas formas são recortadas à mão e posteriormente, como que peças, organizadas em diversas composições resultando em desenhos e pinturas de variadas dimensões.

The Shapes Project,

2005/2006, 7,056 monotipias 4,25cm x 5,5cm cadahttp://www.allanmccollum.net/amcnet2/album/shapes/intro.html

Uma quantidade imensa de figuras singulares. Uma para cada pessoa no mundo estimando a população mundial a meio do século XXI (9.1 bilião no ano de 2050). As figuras são desenhadas pelo artista (partes cortadas e coladas a outras) em formato digital com um sistema básico de criação de figuras projectado pelo mesmo. Em formato digital possibilitando a continuação do projecto por outra pessoa e garantindo também que nenhuma figura seja repetida

Marcel Duchamp

3 standard stoppages

http://www.moma.org/collection/object.php?object_id=78990

Resulta do acto de deixar cair três cordas de um metro de comprimento a um metro do chão sobre tela. a forma “random” das cordas foi assim assumido e o desenho das curvas recortado nas telas criando novas imagens com a mesma unidade de medida.

Hugo Demartini


Demonstrations in Space, 1968

Untitled, 1956

John Baldessari

 

Cigar Smoke To match Clouds That Are Different

Trowing balls in the air to get a straitgh line (best of 38 tries)

“Subsequently, Baldessari devised a number of different methods for arriving at unorthodox pictoral solutions that are connected to the real world by photography. Cigar Smoke to Match Clouds That Are Different (By Sight – Side View) (1972-73) and Throwing Balls in the Air to Get a Straiht Line (Best of 36 Tries) (1972-73) demonstrate how camera frees the artist from hand-drawn, formal invention and its accompanying decision-making processes by mechanically providing him with given shapes. In the first work, puffs of smoke from the artist’s mouth are paired with rectangular reproductions of clouds in a group of prints and, in the second, rubber balls assume different configurations against the blackground of the sky in each of four prints.”

in Rorimer – New art in the 60s and 70s, redifinig reality, Thames and Hudson (p.132)

Lurdi Blauth

Silex III – 2002 – 72 Módulos de parafina com matrizes de madeira carbonizadas – 14 x 14 x 4,5cm

““matrizes / fragmentos” – Sandra Reysobre trabalho de Lurdi Blauth

As últimas obras de Lurdi Blauth, em exposição, são o resultado de experimentações recentes, conduzidas por um projeto de pesquisa: uma série de impressões de pequenos objetos domésticos -matrizes de gravuras anteriores- queimados gradualmente e prensados sobre papéis durante diferentes etapas do processo; três montagens compostas a partir de módulos de parafina contendo fragmentos de madeira queimada ou vestígios carbonizados.”

Chillida

Walead Beshty

É uma artista cujo trabalho, escultórico e fotográfico questiona a transição da vida quotidiana, os precalços, as pausas e os momentos “entre”. Mais recentemente o seu compromisso com os “in-between” moments desemvolveu-se em termos de produção artística fazendo uso dos transportes de embalagens -actividade comum no procedimento da produção artistica- transportando peças (cubos de vidro), de exposição em exposição que inevitavelmente se danificam na viagem pela empresa/transportadora -mantém uma colaboração não oficial com a FedEx-. as peças, danificadas, são expostas como registos da sua viagem e da transietoriedade destas no espaço da galeria juntamente com os embrulho/ caixas de cartão que serviram para os embalar a servir como pedestais.

(não consegui utilizar as imagens, a consultar no link abaixo)

http://www.we-find-wildness.com/2011/12/walead-beshty/

bibliografia

poema dadaista – http://antologiadoesquecimento.blogspot.com/2005/06/para-fazer-um-poema-dadasta.html

tangram – http://4pilares.zi-yu.com/?page_id=385

http://www.educ.fc.ul.pt/icm/icm99/icm25/puzzles/tangram/historiadotangram.htm

http://en.wikipedia.org/wiki/Tangram

http://www.iconica.com.br/arteacaso/artigos/lurdi_blauth.html

http://www.lurdiblauth.com.br/index.html

http://www.moma.org/collection/object.php?object_id=78990

http://www.allanmccollum.net/

http://artlist.cz/?id=1187&lang=1

http://www.nadacedrak.com/artists/hugo-demartini/Profile

http://deltabravo.net/custody/rorschach.php

http://www.virose.pt/ml/blogs/sem_10/

____________

  • Proposta, intenções inicialmente esboçadas:

o tangram como referência para uma abordagem tridimensional do aceitar formas elegendo-as como peças que possam juntas compor algo conhecido ou reconhecível. ameaçar o acaso e ceixá-lo vir e jogar com este até  poder identificar nele coisas do nosso mundo, dar um nome, por uma legenda. torná-lo mais amigável. redesenhá-lo.

Com a ideia de adaptar um jogo de construção de imagens bidimensionais para o plano tridimensional e iniciar e desenvolver um trabalho em pedra, planeio inicialmente estender este projecto em três fases:

Investigar que tamanho/forma e de que material será a peça/objecto inicial e o próprio processo da sua desfragmentação;

Transportar/copiar os fragmentos através de processos subtractivos em pedra, para este mesmo material, em uma escala aumentada, (que considerva ser o principal e mais longa etapa deste projecto),

Posteriormente tenciono proceder ao “encontro” e catalogação das imagens/desenhos que as formas/peças finais, em pedra, poderão compor entre si. os processos de registo desta ultima etapa.

  • Desenvolvimento do projecto

Iniciei o projecto escolhendo formas simples, geométricas. A elegida foi a forma esférica (sendo que todos os pontos na sua superfície se encontram à mesma distancia do seu centro) e que pela sua forma, os seus fragmentos apresentaram uma maior diversidade formal que outras formas tridimensionais que sobre as quais exerci o mesmo processo de deixar cair a partir de uma certa altura sobre uma superfície lisa (chão). (fotografias)

(resultados da desfragmentação de outras formas)

-fotografia das esferas-

dimensões:

material:

bolas  I, IV, V, gesso

II e III, gesso e pigmentos (oxidos de ferro)

peso:

1ªtentativa

-fotografia dos fragmentos-

Obstáculos de percurso

O gesso, por não estar seco o suficiente resultou em fragmentos muito pequenos e ‘desfarelados’. Repetir

o primeiro resultado surgiu do verter gesso para uma bola de praia na qual foi anteriormente apligada gaze engessada no seu exterior para não deformar

A procura por a elaboração de molde cujos positivos não obrigassem a destruição do negativo levou-e por um percurso vagaroso e muito acidentado que no fim resultou em tirar o molde com silicone suportado por gesso “mother”. Entretanto, deu-se a tiragem das bolas II e III por molde perdido em que a própria bola de praia serve como molde e é destruida a fim de tirar o positivo de dentro . A bola IV e V resultaram de tiragens em gesso do molde “reutilizável”, em silicone.

Para melhor investigar este processo de fragmentar uma bola de gesso em pedaços tratei tirar algumas cópias da primeira forma. para a quais tratei de tirar o molde e várias cópias. Em gesso, compactas – em duas delas usei pigmentos que juntei, sem misturar, ao gesso enquanto o vertia para o molde, criando manchas e assim mais um ponto de partida na minha procura por figuras e desenhos dos “acasos autorizados”

O trabalhar em pedra. Depois desta primeira fase entendi, refiro-me agora aos fragmentos resultantes da primeira esfera de gesso que desconstruí, os relevos e fissuras dos fragmentos com um interesse que, no objectivo inicial (“copiar”, ou transportar estas informações em pedra), deixava algo a desejar. a textura do quebrado tinha interesse por assim o ser, imitá-la, em pedra tirar-lhe ia esse “brilho”.Por considerar e resolver que este percurso inicialmente projectado já não se justificava continuei o projecto investigando por outros processos, outros métodos,outros resultados.

tiragem do molde

-diário de bordo desenhos e fotografias moldes-

-fotografias das esferas-

2ªtentativa

-fotografia resultado da fragmentação-

exercícios

1ª bola

pedaços suspensos; composições, fotografia

fragmentos de gesso, tachas, tinta branca acrílica, barra de ferro, fio nylon

jogo I bidimensional -fotografia do jogo com tabuleiro- A partir as formas resultantes no fragmentar da primeira bola, e do contorno destas, desenvolvi uma versão bidimencional do mesmo conjunto, algumas peças estão em vidro de 3mm, outras em cera colorida. com um tabuleiro, em mdf,

2ªbola

processo

gesso e pigmento azul e castanho. 36 peças, dimensões variadas, catalogadas e com a primeira/segunda camada de resina acrilica

exercícios:

variantes peças bola II s/ papel amarelo 30x30cm – p.escultura pdf

mostra a possibilidade de criar 23980 combinações de peças e quase infinitas composições

composições

sobre papel amarelo 30x30cm, 6×6, chão, sala de aula, FBAUP

Posteriormente a investigar as possibilidades e relações entre as peças e o suporte da folha, parti para exercícios de composição entre: peças, o suporte da folha e o espaço em redor. peças sobre papel. uma só peça em cada papel em  variadas composições, seguindo diversas condicionantes por cor, peso, tamanho ou forma. resultando em composições aleatórias; com as peças maiores no centro; com peças menores no centro; crescente de cima para baixo; etc; …). Para cada composição há um registo fotográfico e uma grelha a identificar o nr e posição de determinada peça dentro de determinada composição.

composições peças bola II (todas) sobre papel amarelo 30cm x 30cm

desenhos: contorno; cor; possibilidades variantes -grelhas-

Encadernação I

 1desenho x 100

a importância da legenda no reconhecimento de uma imagem – a intrevir

Regras

– utilizar 10 peças tiradas à sorte

– não ultrapassar os limites da folha

– cada peça toca, no mínimo, em outras duas

Desenho caneta pilot 0.4mm, tinta preta

A intrevir:  legendar figura

Papel manteigueiro A3

Intrevenção:

– o acontecimento da intervenção consiste no legendar ou na atribuição de um nome/titúlo ao desenho de forma a identificar uma forma ou figura.

– cada pessoa intervêm uma vez

– podem riscar, desenhar, pintar na folha como modo de melhor interpretar a figura identificada

Capa

Encadernação II

– parte I 25×1 completa e parte II 25×1 por intervir

folha: papel canson gr. cmxcm  (+ margem de encadernação 1cm )

Regras:

– usar todas as peças

– cada uma tem que tocar outras duas

– assentes ou não no suporte da folha

– não ultrapassar limites da folha

Desenho: contorno caneta preta 0.4mim pilot

Capa (em falta)

.

Jogo
A própria investigação plástica e os diversos exercícios que desenvolvi com as peças levaram-me a considerar a criação de uma base ou objecto que guardasse e assim também protegesse as peças. a ideia das caixas surgiu com o desemvolver a ideia de “tabuleiro de jogo”, a criação de um objecto que permite o proteger e o expôr as peças como o conjunto que são e de forma a poderem ser manipulados e novamente “guardados”.
fragmentos da bola II, 36 peças gesso com pigmentos azuis e castanho, dimensões variadas; caixa de madeira, criptóméria, dim. 63cm x63cm x 20cm altura; tampo de tola com orifícios com a numeração de cada peça
(fotografia processo caixa tentativa I e II em falta)
Primeiro construi uma caixa cmx cm e cm altura, em pinho de 12 mm, no entanto a fraca execução e rigor levou-me a tentar novamente. A segunda caixa, em criptóméria,tábua com 15mm, caixa ficou com 63cm x 63cm x 20 cm de altura. o tampo e a base são em tola. o tampo está a uma altura de 10 cm da base. (na apresentação: base para os desenhos da encadernação II)
.
Ao longo do semestre, o acartar de obstáculos e dificuldades levaram com que o trabalho em si se estendesse a diversos meios numa pesquisa de linguagens e plasticidades que procurassem argumentar/sustentar ou espero, complementar a procura inicialmente proposta.

.

“as resinas,o chão e manchas”

chão da sala de escultura da FBAUP, levantamento e registo dos relevos causados por resinas acidentalmente derramadas -por outrem- no chão.

os desenhos que as manchas de resina criam: a imagem, ou registo fotográfico das manchas (bidimencional)

os volumes,ou registo dos relevos através de moldes (tridimensional) – criação de carimbos

registo da impressão dos volumes -carimbar- sobre cartão: os desenhos que os relevos das resinas criam.

a observar: criação de novos relevos a partir das impressões sobre cartão pelas quantidades de tinta -acrilico preto- suportada nos carimbos

(como de um meio riscador não resulta um traço, mas mais uma adição de matéria sobre o suporte, o chamar bidimensional ou tridimens)

ideias: o transporte do bi ao tridimencional, forma/imagem da forma; registo; repetição; desgaste;

manchas (falta por fotografias)

registo dos relevos – moldes: (falta por fotografias) para o registo dos relevos do chão inicialmente usei perafina quente, em estado liquido, sobre o chão, no entanto e apesar de ter conseguido algumas placas com bastante informação, o tempo de arrefecimento nas bordas é mais rápido que no interior da placa o que faz com que a matéria se eleve ao solidificar -o que faz com que se perca bastante informação. Seguidamente utilizei o silicone que apesar de reter bastante informação, com o catalizar, as manchas de resinas destruíram-se por reação ao silicone. Voltar a tentar. Desta vez com gesso. resultou. dois moldes seleccionados.

registos das impressões (falta digitalizar)

.

“figuras com pele de tinta”

levantamento, recolhas e registos de pedaços de tinta que se foram “descascando” das paredes com o efeito da humidade. local: paredes do nr 218 na rua António Cândido, Paranhos.

(registos fotográficos, mapa, resultados)

tinta plástica, tachas

(não foi apresentado na aula)

“Pontos de Fuga”

papel fotográfico estragado revelado

achei interessante incluir esta abordagem na apresentação do modo que surgiu no mesmo contexto de pesquisa de todo o projecto. as imagens apresentadas resultaram de um processo de revelação fotográfica de papel fotográfico mal conservado, estragado. Que assim o encontrei em desenvolvimento de outros trabalhos. Conta com a mesma procura por imagens, figuras ou um simples, um jogo de ligar pontos a pontos, tal constelações.  Guardando novos desenvolvimentos, em aberto.

  • apresentação

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s